Conselho, de Thiago Barbalho

lá amigos

gostaria de dar um conselho a vocês

por favor aceitem

(é algo que aprendi & não foi fácil, hein)

gostaria de dar este conselho

só alcançado após as seguintes situações mentais:

(1) me desiludir quanto ao que poderíamos ter feito da nossa capacidade abstrativa & amorosa

(2) me libertar da armadura de medo com que essa desilusão insistia em me vestir

(meu conselho é dado portanto

como um salto de volta pro mundo peladinho da silva

e que respinga com frescor & susto em todo mundo que tá por perto

(não sei vocês, mas eu demorei um tempão pra aceitar o mundo

(na verdade esse mergulho tem sido um exercício sem vista de terminar

(não é fácil admitir que medo é o único deus perene que criamos, concordam?

))))

bom, pessoal, como eu ia dizendo

quero lhes dar este conselho

porque sei que a espécie que somos não pode erguer o próprio corpo do chão sem provocar desastres irreparáveis

(e apesar disso, caramba

quanta pesquisa por aí tentando imaginar como será a nova espécie que um dia supostamente evoluirá da nossa própria inteligência em crise)

amigos desculpem a demora

aqui está o meu conselho

é de coração aceitem:

 

errem sempre que tiverem a chance

 

abs

publicado por andresa às 20:57 | link do post | comentar