Open your eyes

Daí que eu não sei como mas eu fui parar na sua página, na da sua mãe, e quando eu vi, já quase tinha stalkeado sua família inteira, quanto tempo se passou? uns 4 anos?! quatro. longos. anos., que eu fiz inúmeras coisas e (quase) nunca pensei em você, quem diria, logo você que preenchia meus pensamentos incessantemente todas as 24 horas do dia, tanta coisa mudou, aquela história é verdade: 'Nenhum homem consegue entrar duas vezes no mesmo rio, da segunda vez não é o mesmo homem, nem o mesmo rio' Não somos os mesmo não é verdade?! Quantas coisas aprendemos, quantas vitórias e derrotas vivemos, sabe leitor como é rever um grande amor?! Um amor que estava escondido no peito, adormecido? Ele não acorda não, ele sempre esteve ali e sempre estará, mas hoje já não causa borbulhinhas em você, o sentimento é até estranho, você não sabe o que sentir, só sabe que quer que ele esteja e seja muito feliz, enquanto cai do seu rosto aquelas poucas e quem sabe, últimas lágrimas que você derramará por esse amor. (Por tudo o que o meu coração havia sonhado pra nós).

música: Canção da América - Milton Nascimento
publicado por andresa às 08:46 | link do post | comentar