So have you got the guts?

 "Com toda a franqueza de quem não precisa se defender o tempo todo e só precisa falar das coisas que realmente importam. Às vezes não tem motivo algum e nós dois (eu e o meu eu de 13 anos) só queremos respirar a sós.



Que não tem nada de errado em se sentir triste ou em não querer companhia. Não tem nada de errado em desprezar aqueles clichês animadores de que “tudo vai ficar bem” e “você precisa sair dessa” porque eu não quero. Eu quero ficar nessa e reconhecer que as coisas não vão ficar bem, pelo menos agora não. Me deixa descansar no meu travesseiro com a cabeça pesada, o coração embrulhado e um rio de lágrimas descendo por conta do sufoco."


Era coragem que faltava? Minha e sua? Coragem de se entregar, coragem de resistir à insegurança do outro? Logo comigo que sempre dou meia volta pra trás, quando o outro tá seguro, me dá a mão e pede para pularmos juntos do precipício, eu enrolo, dou pra trás, arrumo qualquer desculpinha plausível para o meu consciente e não vou, não quero, nao posso, nunca, é sempre assim, mas agora eu quero a coragem, eu quero pular, e quem não quer mais é você. 

publicado por andresa às 00:29 | link do post | comentar